Archive for the ‘pequenas inutilidades’ Category

“the game has just begin”

outubro 30, 2007

Jogos Mortais.
Sempre gostei de filmes que envolvem assassinatos em série, violência bem pensada e trama surpreedente, mas devo admitir que me interessei ainda mais por esse tipo de coisa depois de ter me relacionado com uma pessoa que assistia pelo menos um suspense por dia.
O vício dela tornou-se meu hábito, e quando dei por mim, a estava presenteando no natal – para o espanto do resto da família – com um box contendo os dois primeiros filmes da série Jogos Mortais. O relacionamento acabou, e se há algo que ficou foi o gosto por filmes como esse (de vez em quando penso seriamente em telefonar para ela, pedir o box emprestado e nunca mais entregar).

Pois hoje fui ao cinema assistir ao quarto filme. Não vou ficar aqui babando, tecendo comentários gigantes sobre. Ao invés disso, deixo apenas uma palavra: ASSISTA!

“Make your choice!”

***

ps.1: Só não conto o final porque não lembro o nome do policial que também era ajudante do John Kramer.

ps.2: Valeu a companhia, honey! Fez o dia valer ainda mais a pena. =]

ps.3: Hannibal vs. John Kramer… seria uma boa!

Anúncios

[sem título]

outubro 17, 2007

e aquela certeza, antes tão definitiva
de tão certa encontrou o seu aveso.
uma canção, um dia, prometo
sem tristeza, sem adeus, sem nomes:
nosso segredo.
escondo as histórias
guardo os sorrisos
as boas memórias
e o velho soneto de Vinícius.

1 ano de Canção Pobre

setembro 10, 2007

Esse humilde espaço completou, na última sexta-feira, o seu primeiro aniversário.
Não sou muito amigo das datas comemorativas (na verdade eu sequer teria notado esse “aniversário” se o Zito não tivesse me falado), mas tudo bem. Não tiro delas o mérito de servir como marco para mudanças.
Quantos de nós não se pega pensando em coisas como “nessa mesma época, no ano passado, eu estava fazendo isso, meu cabelo era assim, eu pesava tanto, fulano namorava fulana, vôvo ainda era vivo”, etc?
Em um ano de Canção Pobre muita coisa – nossa! muita coisa mesmo! – aconteceu pra mim. E mesmo considerando o fato de eu não usar esse espaço como um real diário virtual, boa parte dessas coisas estão registradas aqui. Algumas sem rodeios, outras escondidas em contos e por aí vai.
Do primeiro post oficial até hoje, como já disse, muita coisa aconteceu. Tive dias memoráveis, dias péssimos, li muita coisa, ouvi muita coisa, fui o mais feliz, o mais tolo, o mais cara de pau, o mais arrependido. Fui rei e fui capaxo. Conheci muita gente, me despedi de muita gente. Mudei, mudei outra vez, tornei a ser quem jamais havia sido.

Agradeço a cada uma das – até o momento em que escrevo – 29559 visitas (um número baixo, se comparado ao número de acessos do meu outro blog, o wilcoetc, mas ainda assim, um bom número). Aos que passam sempre por aqui, aos que vieram uma única vez, aos que comentam sempre (valeu Zito, Doug, Karen, Carina), aos que comentam de vez em quando (Lara, Manu, Bizzy, Inagaki) e aos que nunca comentaram. Obrigado. Mesmo.

Continuo por aqui com meus sorrisos, minhas reclamações, minhas declarações veladas, minhas paixões declaradas, minhas pequenas inutilidades.
A gente se fala! =]

Estrelas Encobertas

fevereiro 10, 2007

Há uma máxima que diz que todo jornalista musical é um músico frustrado. Se isso é verdade ou não, ao pé da letra, eu não sei. Mas não sou eu quem vou provar o contrário.
Talvez nem todos vocês saibam, mas sou meio que um músico frustrado. Talvez não tão frustrado assim, porque nunca “investi” numa carreira ou coisas do tipo. Já compus algumas coisas, fiz umas 3 gravações mais “sérias”, uma meia dúzia de gravações caseiras (que, pra falar a verdade, são mais legais que as tais “gravações sérias”, mas que nem por isso eu vou mostrar! rs), mas nunca cheguei a acreditar que poderia ganhar algum dinheiro com isso. É um hobby do qual me esqueço durante boa parte do ano, e que só me lembro quando, por exemplo, estou andando pela rua e encontro um amigo (ou uma roda deles) com um violão.

Um dia desses, num desses encontros ao acaso, me fizeram lembrar de uma letra que, modéstia a parte, gosto bastante (a música até que é legalzinha também, mas isso não vem ao caso agora). Se não me engano, foi feita em maio de 2005. A idéia de escrever a coisa mais otimista que o cara mais pessimista do mundo poderia escrever (algo como “o mundo é uma droga, a vida é uma droga, então não pensemos nisso e pode até ser que um dia a gente dê a sorte de conseguir algo de bom!”), em parceria com meu amigo Átila de Carvalho, rendeu isso aqui:

ESTRELAS ENCOBERTAS (JW/Átila)

Tudo fica mais bonito quando fica na lembrança,
Coisas ganham brilho novo quando acaba a esperança
De onde vem essa tristeza?
Será coisa de criança?
Só você sabe, só você sabe com certeza

Quando as luzes apagarem nós veremos as estrelas
Quando você cansar de vê-las,
Talvez o dia amanheça,
Talvez o sol apareça

Se é pra ser fácil pra alguém,
Que seja assim pra você, e não pra mim
Se é pra ser fácil pra alguém,
Que seja assim pra você, e não pra mim
Seja fácil, você sempre foi assim.

Os caminhos que cruzam a estrada têm mais flores
E pedras, buracos, espinhos, cansaço
Não há beleza infinita
Que sustente os derrotados,
Nada é bom o bastante para nos manter sorrindo

E mesmo que hajam nuvens encobrindo as estrelas
Quando você cansar de vê-las,
Talvez o dia amanheça,
Talvez o sol apareça…
Mas só talvez.

Se é pra ser fácil pra alguém,
Seja assim pra você, e não pra mim.
Se é pra ser fácil pra alguém,
Seja assim pra você, e não pra mim.
Nada é fácil. Eu não sei mentir assim.
***

Talvez eu tenha me transformado nesse personagem. Essas linhas dizem muito sobre como tenho pensado ultimamente.
sorria, JW! eu disse pra sorrir... ah! deixa, vai assim mesmo!
***

Ainda estou devendo um retorno decente do blog, mas ainda não consegui. Em todo caso, recebi uns 3 recados pelo orkut de pessoas que nunca vi na vida que diziam ler o blog, apesar de não comentarem. Por causa de vocês, vou tentar tomar vergonha na cara! rs

Mas saibam que quando não tiver nada de novo aqui no blog, com certeza terá aqui, nas notinhas diárias que tenho feito para o site da Rock Press.

Scream & Yell e o Top 7

janeiro 12, 2007

Finalmente saiu no Scream & Yell a lista de melhores de 2006. Com 92 votantes, até que o resultado foi interessante.
Curioso mesmo é conferir os votos individuais e descobrir, por exemplo, que tem gente que realmente leva o Sebastião Estiva ou o CSS em consideração, ou então a cara de pau de quem elegeu o próprio blog como um dos melhores do ano, só pra completar a lista…

Só pra saber – parte II

dezembro 8, 2006

Diz aí, só pra saber: o que você incluiria numa lista de cinco coisas que gostaria de fazer/realizar/presenciar para dar um pouco mais de cor à sua vida?

Minha lista, em ordem +/- decrescente:

5 – Ler todos os livros do Hornby;
4 – Assistir todos os episódios (de todas as temporadas) dos Simpsons;
3 – Ter um filho (na hora certa, planejado, tudo certinho);
2 – Publicar um livro;
1 – Ter a minha casa.
***

Agora é com você, anônimo que visita isso aqui com freqüência (seja você meu amigo ou um xiíta com preguiça de interpretar textos maiores).
Mas vê se responde coisas possíveis de acontecer (o que praticamente exclui a possibilidade de respostas como “nadar numa piscina de Coca-Cola” ou “Assistir o Radiohead no Tim Festival”), viu?

Tony vs. Paul

dezembro 1, 2006

Não sei como funciona aqui no wordpress para visualizar vídeos do youtube direto no blog, então, confere isso aqui por lá mesmo.

Essa vai para os amigos do M12a, fãs desse tipo de vídeos sem-noção.

só pra saber…

novembro 16, 2006

Responde aí pra mim: como vc descobriu o Canção Pobre?

Isso vale pra vocês também, caros (até hoje) anônimos.
Responde aí, rapidinho. Não vai doer nada!

sacanagem é o que rege o mundo!

outubro 31, 2006

Bem lá no fundinho (ui!), todo mundo… (e isso inclui você)… só pensa em SACANAGEM!

Eu sabia que, mais cedo ou mais tarde, o terceiro parágrafo desse texto aqui iria atrair visitas dos pervertidos do meu Brasil.

Po… “Putaria Xuxa”?! Deixa a VOVÓ em paz, gente!
E… “ver Sandy pelada”? Vai ser ginecologista da família Xororó!

Tem certeza de que é essa tábua mesmo quem você quer ver?!
Se ainda fosse a Wanessa Camargo

Deixa pra lá…

aumento do número de acessos

outubro 24, 2006

Foi com certa supresa que notei, de uns dias pra cá, o absurdo aumento no número de visitantes aqui no Canção Pobre. Tudo bem que eu esperava mais acessos por aqui, que eu tenho divulgado o blog para amigos e amigos de amigos, mas… mais do que TRIPLICAR as visitas diárias em relação ao mesmo período do mês passado, eu realmente não esperava.
Fico feliz em saber que o texto sobre a Rolling Stone foi responsável por isso. Sinal de que há interesse pela publicação e, talvez, também sinal de que ela terá futuro.
Até então, Caixa Preta era o mais visitado (tragédias sempre chamam a atenção) e, logo em seguida, o da Revista piauí (outro bom sinal).

Eu já estava quase apelando… pensando em um texto repleto de palavras e expressões como “putaria”, “filme da xuxa”, “sandy pelada”, “vídeo da Cicarelli”, “como baixar vídeos no YouTube”, “Angelina Jolie” etc, só pra ver se um post assim iria atrair muitas visitas, mas desisti da idéia. Ops!